Make your own free website on Tripod.com
Clube Nacional de Ginástica
As Informações




O Dojo | As Informações | Os Contactos | A localização | Os Alunos | Os Eventos| Os Textos | Os Cartazes | Os Links| | Programa Técnico
\
2009 |2008 | 2007 | 2006 | 2005
<
2007-12-19 – EXAMES NO “CNG”

Caros Amigos,

Neste final de ano, foi tempo para exames. Especiais... Não é todos os dias que se prestam provas para o “segundo mais cobiçado” nível de Aikido, o 1º Kyu, porta de entrada para o “primeiro mais cobiçado”, o Shodan...

Quando se presta esta prova, o grau de responsabilidade começa a pesar. Um dia, alguém me disse que a verdadeira prova de fogo de um jovem Aikidoka era o exame para castanho, pela sua simbologia de “quase preto”, de “o mais graduado antes de preto”... De facto, esta graduação é a prova de que o Praticante atingiu o almejado nível técnico que, com um empurrãozinho, lhe dará o “Primeiro Degrau”, o primeiro dos Dan’s. A diferença entre os dois é a maturidade, a consciencialização, a pormenorização, a responsabilidade do “início da Via”... Mas, no castanho, o Praticante já sente isso tudo, o peso do cinto escuro é enorme...

Foi o que sucedeu... Dois dos mais jovens Praticantes do “CNG”, que aqui começaram a “pisar” o tapete há uns largos anos, deram esse passo. Foi o fim de um processo doloroso de espectativa, de solidificação, de esforço físico e mental... Houve que corrigir muitas coisas, modificar muitas actuações, sofrer muitas horas, ouvir muitas críticas, esperar muito tempo... Mas finalmente chegou o dia...

E correu bem... Muito bem... Os exames foram muito bons, mesmo levando em conta os nervos e os bloqueios, o esforço e o cansaço, o desejo e o medo... Mas, tudo acabou em bem, todos festejámos o passo conseguido... Para eles, os parabéns, mas para todos nós, também... Todos estamos melhores e mais desenvolvidos, pois, pela progressão de alguns, nós, os outros, também progredimos, também nos desenvolvemos, também melhoramos...

A partir daqui, o foco é outro.

Só faltam uns anos... Ou a vida toda...

Francisco Leotte

>

aikirei.gif

<
2007-12-15 – ACÇÕES NO FINAL DO ANO

Caros Amigos,

Este “fim do ano” foi movimentado... No sábado deste último fim-de-semana antes do Natal, realizaram-se, nas intalações do nosso “CNG”, nada menos do que três acções da “ACPA”, a saber, um Estágio, um almoço e a conclusão do Curso de Monitor.

O Estágio Nacional foi ministrado pelo José Azevedo e Silva Sensei e, como é costume, contou com a casa cheia. É sempre um regalo participar nestas acções do “nosso Sensei”, não só pelas técnicas explicadas e analisadas, mas também pelo ambiente de harmonia que ressalta da sua actuação. É realmente um “Grande Senhor” do Aikido em Portugal, uma pessoa muito respeitada e querida por todos os Participantes da nossa Associação. Depois, a energia que emana, o rigor que exige, a disponibilidade que apresenta... Todos nós deveremos seguir os seus passos a fim de progredirmos no Aikido, tomando o seu exemplo e esperando que, se chegarmos à sua idade, ainda possamos fazer o que ele faz...

Depois do Estágio, o tradicional almoço de Natal. No restaurante do “CNG” estiveram presentes quase quarenta Praticantes, em alegre convívio e total descontracção. Foi muito agradável, comeu-se bem, bebeu-se ainda melhor e todo o mundo se divertiu... Isto também é Aikido...

Finalmente, durante a tarde voltámos ao dojo, onde se realizou a última parte prática do “Curso de Agente de Ensino de Nível 1 (Monitor)” e o respectivo exame final. O responsável por esta acção, o Agostinho Vaz Sensei, transmitiu aos participantes e novos futuros Monitores alguns dos seus conhecimentos e experiências, os necessários para que, nas futuras docências, resulte uma melhoria do nível do Aikido em Portugal. O seu vasto saber, a sua grande cultura do Oriente e a sua vida dedicada às Artes Marciais, serão sempre apreciados por todos nós, mais velhos ou mais novos, com maior ou menor experiência, com mais ou menos responsabilidade dentro do Aikido. No final, realizou-se uma prova escrita, o coroar finalmente de uns meses de estudo e de sensibilização, no sentido de poder legalmente começar a trilhar o nobre mister da transmissão e do ensino do Aikido. A minha grande satisfação foi o verificar, na correcção das provas que tive ocasião de fazer, o nível dos conhecimentos dos Candidatos, a sua consciência da responsabilidade que irão ter e a sua sólida formação interior, global, como Agentes de Ensino que passaram a ser, certificados por uma Federação de âmbito nacional, integrada nas estruturas internacionais da Arte. A todos, os meus sinceros parabéns, que sejam bemvindos aos caminhos do Ensino.

O Aikido precisa de todos...

Francisco Leotte

>

aikirei.gif

<
2007-12-14 – ASSEMBLEIA GERAL DA “FPA”

Caros Amigos,

Mais uma vez se realizou uma Assembleia Geral da “Federação Portuguesa de Aikido”. Por razões particulares, de índole profissional, não me foi possível estar presente. Tive pena de ter faltado, pois estas reuniões são-me sempre caras, dado que se inscrevem na minha activa participação na vida federativa, o que sucede há cerca de vinte anos...

Pelo que julgo saber, não houve surpresas. A nossa associação, a “ACPA”, esteve representada. Tudo se passou civilizadamente e com um espírito construtivo. É assim que se constrói o edifíco do Aikido.

Tijolo a tijolo, com harmonia e participação de todos...

Francisco Leotte

>

aikirei.gif

<
2007-11-29 – EXAMES NO GINÁSIO EQUILÍBRIO

Caros Amigos,

Mais uma vez se realizaram exames no “Ginásio Equilíbrio”, em Loures, cujo responsável operacional é o João Batalha.

Foi um momento que se regista porque ele significa a continuidade pela renovação na prática do Aikido, o entusiasmo dos Praticantes e do Instrutor, o esforço conseguido na melhoria física e mental e o apoio que todos nós devemos prestar aos que, sem o objectivo das medalhas, continuam a seguir a via difícil da Arte do Aikido.

O nível técnico destes exames satisfez os padrões exigidos e todo o mundo saiu satisfeito... Na próxima vez, seremos ainda mais exigentes com todos os aspectos formais dos exames que, quer se queira quer não, são sempre uns momentos muito tensos, com regras definidas e procedimentos que se devem respeitar.

FPessoalmente, continuo a gostar de lá ir, pelo espaço, pelo ambiente, pelos Praticantes e pelo Instrutor. Tudo se conjuga no bom sentido. Respira-se harmonia.

É um dojo de Aikido...

Francisco Leotte

>

aikirei.gif

<
2007-11-25 - ENCONTRO TÉCNICO NA BAIXA DA BANHEIRA

Caros Amigos,

Mais uma vez tive o prazer de dirigir um “Encontro Técnico” no dojo da Baixa da Banheira, cujo Responsável Técnico é o José Fontes Sensei. Se, no ano passado, fiquei contente com o nível da participação, este ano ainda fiquei mais...

De facto, a evolução que se verificou nos Participantes foi notável. Há mais concentração durante o treino, maior requinte na execução das técnicas, mais interesse pelas explicações, um nível acima da média na atenção às justificações dos diferentes movimentos e atitudes. Certamente que para isso contribuíram as características do Técnico Responsável, um Instrutor muito respeitado pelo seu apego ao Aikido, destacando-se também pela sua cultura sobre todos os temas ligados ao Oriente.

O trabalho de fundo que está a ser feito pela “ACPA” está lentamente a produzir os seus frutos. Reconheci Praticantes com quem me cruzei em Estágios, Nacionais e Internacionais, e noutros Encontros Técnicos. Os conhecimentos absorvidos nestes eventos não têm caído em saco roto, antes pelo contrário, têm sido eficazmente tratados pelo José Fontes, que, com o seu entusiasmo e poder de comunicação, vai forjando neste trabalho regular, os espíritos e os corpos dos seus Alunos. E com sucesso, deve dizer-se... Só espero que, nesta ocasião, eu tenha conseguido transmitir alguma coisa de útil àquelas pessoas, as quais demonstraram, nestas duas horas, um notável empenho. Espero ter assim contribuído, embora modestamente, para o seu desenvolvimento...

Foi mais um momento agradável e, assim o espero, profícuo. Aos Participantes cabe julgar... Este ano, a “ACPA” subiu o nível da ambição revelado na época passada e, como é sabido, a cada degrau subido, maior responsabilidade corresponde no próximo. Felizmente que todos estão (estamos...) empenhados neste desafio. Mais do que por convicção do que por figura de estilo, deixo aqui repetida a frase com que acabei o meu comentário sobre o “Encontro Técnico” do ano passado, neste mesmo dojo, quando me referi ao empenhamento continuado de todos nós, enquanto Instrutores e Monitores da “ACPA”...

Nessa altura afirmei e hoje repito: “Os Praticantes que, desde a primeira hora, acreditaram em nós, não serão defraudados nas suas expectativas...”

Igualmente reitero hoje que esta é a minha ”Promessa de Aikidoka...”

Francisco Leotte

>

aikirei.gif

<
2007-11-17 - ASSEMBLEIAS GERAIS DA “FPA”

Caros Amigos,

Realizaram-se ontem, num hotel de Carcavelos, duas Assembleias Gerais da “FPA”, conforme convocatórias recebidas pela “ACPA”. Destinavam-se, a primeira, à apreciação do Plano de Actividades federativo para 2008 e, a segunda, à discussão das propostas para as novas redacções dos Estatutos e do Regulamento Técnico.

Estiveram presentes os representantes de seis Associações e de outras entidades federadas, o Presidente e Vice-Presidente da “FPA” e os Membros da Mesa. Pela nossa “ACPA” apresentaram-se para tomar parte nos trabalhos, o Presidente Nelson Capote e os Vogais João Batalha e eu próprio.

A primeira Assembleia Geral não se previa polémica, mas, curiosamente, teve o mérito de decorrer muito participadamente, com inúmeras intervenções de todos os presentes, tendo sido sugeridas à Direcção pequenas alterações de pormenor, mais de forma do que de substância. Essas intervenções foram úteis, na medida em que conseguiram quebrar a tensão que se previa para estas duas reuniões. Chegou-se rapidamente a consensos e o texto foi aprovado com uma maioria muito confortável, com 102 votos a favor, 6 abstenções e 4 brancos. A Direcção tem agora nas mãos o instrumento para poder discutir com o “IDP” (se isso se puder fazer...) os apoios que esse organismo estatal deverá conceder a uma Federação com as características da nossa.

A segunda Assembleia Geral, essa, já se previa complicada, na medida em que se iria discutir a proposta dos novos textos dos Estatutos e do Regulamento Técnico da Federação. Recordo que, durante quase 2 anos, tiveram lugar uma série de reuniões em que estiveram presentes quase todos os estilos e escolas de Aikido existentes em Portugal. Nessas reuniões discutiu-se tudo e em profundidade, tendo-se chegado a acordo numa série de princípios que permitissem a entrada de todas as organizações de Aikidokas no seio da Federação, dando assim corpo ao velho sonho de integrar todo o Aikido português sob o mesmo tecto organizacional. A Direcção da “FPA” preparou assim os dois textos com base nessas decisões, dando-lhes uma forma jurídica, a todos os níveis compatível com as Leis que nos regem. Foi um trabalho essencialmente técnico, mas também político, delicado no seu equilíbrio, exigente na sua forma e abrangente no seu conteúdo. Havia que espelhar nele uma enorme dose de bom senso, dando às escolas o que elas queriam, sem muitos espartilhos.

Todos tínhamos (e temos...) a consciência de que o óptimo é inimigo do bom. Nesta fase, havia que criar as condições para que as diferentes escolas de Aikido entrassem para a Federação e começassem a falar umas com as outras, esbatendo naturalmente os temores de dominação que algumas ainda têm. Havia que ter a consciência de que as vantagens de construir uma “Grande Federação” são superiores a tudo o resto e de que devem relevar os interesses autonómicos do “ser uma escola”, ser um representante isolado (mas com menor expressão...) de uma linha, de um estilo ou de um Mestre internacionalmente reconhecido. Havia que ter o bom senso de saber abdicar de certos detalhes para poder usufruir de apoios organizacionais, financeiros e de representatividade, aumentando a visibilidade do Aikido em Portugal, captando novos Praticantes, expandindo a sua mensagem, passando a ser considerado como um parceiro de corpo inteiro pela Administração. Pessoalmente sempre defendi que mais vale haver muita gente a praticar Aikido, seja na minha “linha”, seja em qualquer outra, do que o Aikido ser considerado como uma Arte Marcial menor, eventualmente sem qualquer expressão numérica no panorama federativo português.

Felizmente que já não estou sozinho nessa cruzada e isso viu-se nesta Assembleia Geral. Os novos Estatutos e o novo Regulamento Técnico foram, no final de uma longa noite, aprovados na especialidade... A Direcção irá agora realinhar o texto final, dando-lhe uma forma juridicamente aceitável, a fim de que, rapidamente, entre em vigor...

A partir deste momento, estão criadas as condições para a entrada de todos os estilos na “FPA”. Não me parece haver mais nada que impeça que nos juntemos todos, em pé de igualdade, sem haver “filhos e enteados”, cada um com a força real, derivada do número dos seus adeptos Praticantes. A partir de agora, a Federação tem de nos considerar “todos” como iguais, legitimamente iguais, com os mesmos direitos e com as mesmas obrigações. Mas, igualmente, todos nós temos que nos considerar iguais, legitimamente iguais, com os mesmos direitos e com as mesmas obrigações... Mas, nas votações, com “pesos” de ponderação diferentes...

É claro que não se chegou ao texto perfeito... Isso não existe... O próximo trabalho já tem de ser feito por todos, depois de uns tempos de experiência em conjunto. No entanto e a partir de agora, temos a possibilidade de, sob o mesmo tecto, poder construir “a coisa” que O Sensei sonhou: uma organização que, num ambiente construtivo e pacífico, expanda os ideais do Aikido pela “Sociedade Civil”. Temos, a partir de agora, essa possibilidade, se todos os que, longa, acalorada e empenhadamente discutiram estas bases, cumprirem aquilo a que se propuseram, isto é, se integrarem de imediato na “Federação Portuguesa de Aikido”. O “menor denominador comum” já existe... Todos contribuímos para ele, discutindo e definindo os seus limites. Isso já existe... Agora é tempo de cumprir o prometido...

Há muito tempo que, nas Assembleias Gerais da “FPA”, não se via um ambiente tão harmónico, construtivo e positivo. Todos saímos de lá com a sensação do dever cumprido, de termos dado o passo que faltava para alcançar o tal sonho de muitos anos. Houve emoção no ar... Até se tiraram fotografias “para mais tarde recordar”...

Estou desejoso de ver o futuro...

Francisco Leotte

>

aikirei.gif

2007-11-16 - O “CNG” ESTÁ DE LUTO

 
Caros Amigos,
 
Neste espaço, tenho escrito sobre os mais variados temas, tendo sempre, como tema principal, o Aikido, quer relatando o que se passa no nosso Clube, como, dentro do possível, levando ao vosso conhecimento os acontecimentos que reputo relevantes e que tenham algum relacionamento com os nossos interesses, enquanto Aikidokas. Tenho, igualmente, referido eventos internos do “CNG” que, não sendo de Aikido, tenham a ver connosco, na qualidade de Sócios deste Clube. Uns têm sido assuntos agradáveis, outros desagradáveis. Mas, há textos que não deveriam ter de ser escritos, pela sua violência e pelo seu carácter negativo. Este é um deles.
 
A Cila, que nos acompanhou desde sempre na Secretaria deste Clube, morreu hoje, vítima de um cancro fulminante. A sua eficiência era conhecida de todos, sempre defendendo ferozmente os interesses do “CNG” contra tudo o que não fosse “para” o Clube, “a favor” do Clube. Esteve permanentemente ao nosso lado na resolução das pequenas questões que iam surgindo, tendo sido sempre impecável nas suas funções. Será lembrada por tudo isto e pelo que não é possível relatar num texto deste tipo, mas que todos, no nosso íntimo, sabemos o que é...
 
Tive com ela um relacionamento exemplar ao logo dos mais de 13 anos de Sócio, primeiro com Praticante, depois como Instrutor responsável da Classe de Aikido. Sempre me pareceu que tinha um carinho especial por esta modalidade que, de quase inexistente, foi “marcando terreno” e solidificando-se ao longo dos anos, dentro da vasta oferta apresentada pelo “CNG”. Quero apresentar, em meu nome pessoal e certamente em nome dos que com ela se relacionaram no passado, os pêsames à sua Família.
 
O “CNG” está de luto.
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-11-05 - ESTÁGIO INTERNACIONAL DE LISBOA

 
Caros Amigos,
 
Neste último fim de semana, nos dias 3 e 4 de Novembro, realizou-se, no Pavilhão do “INATEL”, mais um Estágio Internacional dirigido pelo conhecido Mestre japonês Seiichi Sugano Shihan, 8º Dan Aikikai, presentemente estabelecido nos Estados Unidos da América, onde ensina no “New York Aikikai” em conjunto com outro Mestre, Y. Yamada Shihan.
 
Foram, como previsto, seis horas de ensinamentos, de correcções, de pormenores... Quem o conhece, verificou que Sugano Shihan se apresentou em muito boa forma, senhor de uma técnica surpreendentemente eficiente, com intervenções explicativas da “razão interior” das técnicas, com muitos detalhes e “dicas” de melhoramentos, contrastando este ano com a situação do visível e penoso esforço do ano passado. Certamente que para isso contribuíram as escolhas da programação da sua viagem, já que esta lhe permitiu vir directamente dos EUA, descansar das horas de voo no seu hotel, ultrapassar o “jet leg” e iniciar o Estágio, fresco e bem disposto.
 
Uma palavra sobre uma impressão que Sugano Shihan me deixou, pela maneira como agiu e se apresentou... Pareceu-me mais livre das pressões, das dependências e das submissões, obscuramente orientais... Se assim for, há que saudar a evolução. Haverá aqui uma “mãozinha” do Doshu?
 
Por este ano se ter comemorado o 10º aniversário da primeira vinda de Sugano Shihan a Portugal, a “ACPA” ofereceu-lhe uma lembrança genuinamente portuguesa, uma colecção de música que certamente ele muito apreciará. Sabemos que é um melómano e que tem uma discoteca bastante completa. Nela não havia o fado português. Pois agora passou a haver... E do bom...
 
Neste Estágio, estiveram presentes alguns Praticantes belgas que normalmente acompanham o Sensei nas suas viagens pela Europa. Claro que foram muito bem recebidos e regressaram satisfeitos com Portugal e com os Portugueses, com quem se enturmaram muito facilmente. Os seus conselhos também foram bem-vindos e a sua simpatia e simplicidade foram reconhecidas por todos.
 
No final, houve graduações Aikikai. Uma, em especial, calou fundo em todos nós. A de 4º Dan obtida brilhantemente pelo Agostinho Vaz Sensei, membro do nosso Conselho Técnico e Vice-Presidente da “ACPA”. Foi finalmente feita justiça a um Praticante que já merecia esta graduação há muito tempo, pelo seu percurso de há trinta e muitos anos dentro do Aikido, pela sua cultura e pela sua técnica, mas também pelo constante contributo ao ensino desta Arte, incansável na realização de Estágios e Encontros Técnico, na feitura de textos didácticos e na realização de Cursos teóricos.

É consolador verificar que o “Projecto ACPA” está, cada vez mais, sólido e consistente, mantendo a linha do sonho inicial, mas aumentando, todos os dias, a realidade. Aqui não há “filhos e enteados”... Todos os que colaboram nestes nossos objectivos dão o seu melhor sem “olhar a despesas”, todos se ajudam e estimulam mutuamente, pela pura construção, sem esperar a recompensa, somente pelo entusiasmo de ver a “obra feita”... Obviamente que são necessárias as bases técnicas para se poder progredir e elas vão surgindo calmamente, sem sobressaltos nem atropelos, diria que, naturalmente, no decurso do tempo. A graduação do Agostinho Vaz Sensei foi mais um degrau (e importante...) dessa escada que diariamente se constrói.

Uma palavra negativa de desalento... Os Praticantes inscritos nos dojos associados na “ACPA” não se apresentaram em grande número... Foi, certamente um factor negativo que ensombrou um magnífico Estágio Internacional, eventualmente um dos melhores ministrados em Portugal por este conceituado Mestre. De facto, todos temos de ter a consciência de que a “ACPA” não dispõe de respaldo financeiro para poder organizar estas acções, com prejuízo. Na decisão dos níveis dos montantes das inscrições, foi levado em conta que a crise está a afectar a todos, que há pouco dinheiro nos bolsos das pessoas e que o Aikido não pode ser mais uma actividade desequilibradora da já difícil orçamentação no seio das famílias. Mas, todos temos de ter a consciência de que não se podem fazer “omeletas sem ovos” e que os organizadores (a Direcção, o Conselho Técnico e os aderentes voluntários...) fazem tudo pelo “amor à camisola”, sem que vejam reembolsadas quaisquer quantias gastas, nem lhes sejam comparticipadas as despesas de gasolina, portagens, parques, telefonemas, almoços e outras do mesmo tipo. A razão é só uma: o dinheiro não chega...

Daqui faço apelo a todos os Praticantes para, no futuro, participarem em massa nestas manifestações... Só com a sua presença é possível assegurar o funcionamento da “ACPA” enquanto realização empresarial. Os patrocínios que se conseguiram para o Estágio de Peniche foram os suficientes para o equilíbrio das contas. Mas, para esse Estágio, assim como para todos os outros, embora solicitados, até à data e incompreensivelmente, não foram recebidos quaisquer tipos de subsídios da Federação Portuguesa de Aikido. Estranha-se que esta entidade, reconhecida pelo Estado e fortemente subsidiada pelos dinheiros públicos oriundos dos nossos impostos, não apoie minimamente estas realizações de fomento da modalidade. Não sei se apoia as outras Associações ou não... Mas deveria apoiar todas, em proporção do seu número de Praticantes inscritos. Se não o faz, para que é que serve, se todo o trabalho é feito e todos os riscos são corridos pelas Associações? Alguém tem de responder...

Enfim, tirando a fraca participação, longe dos célebres mais de 150 presentes num Estágio em Fátima, há uns anos, acho que este foi um sucesso... É com honestidade e persistência, motivados pela Arte e não pela Política, com a certeza do que queremos, lutando pelo Aikido e pelo nosso projecto inicial, que percorremos, mais uma vez, uma etapa do nosso caminho...
 
Ganbatte kudasai...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-10-27 - YUDANSHAKAI NA “SFUAP”

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se este sábado mais um Yudanshakai, desta vez no dojo da “SFUAP”, na Cova da Piedade, da responsabilidade do Agostinho Vaz Sensei.
 
Este encontro para cintos negros (e equiparados...) foi programado para uma semana antes do Estágio Internacional de Lisboa por uma simples razão: consolidar pormenores... De facto, foi julgado necessário “avivar a memória” dos Praticantes mais conhecedores acerca dos detalhes a ter em atenção, absolutamente, aquando da próxima visita de S. Sugano Shihan, dentro de oito dias. Nos anos anteriores, verificámos que havia pormenores que os Praticantes se “esqueciam” e que este facto deixava o Sensei mal disposto. Este ano isso não pode acontecer e decidiu-se efectuar um Yudanshakai uma semana antes, para tentar inverter a situação.
 
Quem melhor que o Agostinho Vaz para dirigir essa acção? Senhor de uma técnica requintada e precisa, faz dessa precisão e do gosto dos pormenores a sua “marca”. Logo, a escolha só podia recair sobre ele... E, de facto, foi isso que se passou. Foram duas horas de detalhes, de procedimentos, de minúcias, de repetições e de rotinas, tudo seguido interessadamente e praticado esforçadamente pelos presentes.
 
Correndo o risco de me repetir, direi, mais uma vez, que é este o caminho que foi pensado aquando da criação da “ACPA”. O Aikido exige muitíssimo dos seus Praticantes, de constância, de interiorização, de atenção, de vontade... Os responsáveis do ensino não se podem limitar à execução automática das técnicas que aprenderam há muitos anos. Têm de investigar, de corrigir, de experimentar, de discutir com os seus pares e de aprender com os seus maiores, com um espírito aberto à evolução, sem se deixar dominar pelo sentimento de tudo saberem.
 
A nós, agora, Instrutores, Monitores e mais graduados, cabe sensibilizar todos os Praticantes com quem contactamos para essa evolução, para que o Estágio da próxima semana seja um êxito a todos os níveis. E em ambos os sentidos... Temos de aprender, com o espírito aberto, mas também temos de demonstrar que já aprendemos e que interiorizámos... Sugano Shihan para a semana, deverá sentir isso...
 
O Aikido é isso... Esforço e partilha...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-10-13 - ENCONTRO TÉCNICO NO “REAL SPORTS CLUBE”

 
Caros Amigos,
 
Como estava previsto e programado, realizou-se a primeira acção técnica desta época, no “Real Sports Clube”, em Massamá, tendo sido dela responsável o nosso Director Técnico, o decano dos Aikidokas da “ACPA”, José Azevedo e Silva Sensei.
 
A casa esteve cheia, direi mesmo, a abarrotar... Foi uma surpresa o número de Praticantes que estiveram presentes nas mais de duas horas de prática de um bom Aikido. Tenho para mim que este Encontro Técnico foi, mais uma vez, a confirmação do interesse que estas manifestações despertam na generalidade dos Praticantes, sendo um dado que se tem vindo a afirmar com bastante constância. Tendo sido a primeira desta época e dirigida por quem foi, foi possível sentir a participação, o interesse, a “cumplicidade” evidenciada por todos os Participantes. Curioso foi também verificar que houve várias pessoas que estiveram presentes como espectadores e não arredaram pé durante todo o tempo. Pude constatar a atenção com que estiveram a assistir ao treino. Pelas suas expressões, não tenho nenhuma dúvida de que gostaram...
 
De facto, o José Azevedo e Silva detém, de todos nós, um capital de confiança notável... Os seus ensinamentos e requinte técnicos são sempre apreciados, a sua energia é sempre motivo de comentários, a sua simpatia e bonomia são uma agradável constante. Por tudo isto, os seus Estágios, Encontros Técnicos ou Yudanshakai são sempre bem-vindos por todos. Mais uma vez, isso se provou...
 
Quero afirmar que considero um privilégio praticar Aikido no tatami sob o seu comando, usufruir dos seus conhecimentos técnicos e contar com a sua amizade.
 
Por tudo isso, posso dizer, sem qualquer problema, “obrigado”...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-09-03 – INÍCIO DE ÉPOCA

 
Caros Amigos,
 
Neste dia 3 de Setembro, iniciou-se oficialmente a nova época desportiva do Aikido, na “ACPA” e no “CNG”. Não se pense que a época começou por um estalar de dedos, por uma qualquer arte mágica. Não... Houve que fazer a sua preparação e o seu planeamento. Na “ACPA”, esse trabalho já tinha começado a meio de Agosto.
 
As esperanças gerais, na “ACPA”, são grandes. O trabalho feito na época passada vai, certamente, conduzir a uns resultados ainda melhores. O caminho tem sido sempre a subir, desde a sua constituição e, para esta época de 2007 / 2008 as expectativas são ainda mais altas.
 
Para o nosso “CNG”, conto com uma certa continuidade do ano passado. O nível geral de graduados subiu durante a época anterior, o que traz alguma certeza sobre a constância do número e da qualidade dos Praticantes. Mas, nada nos aponta no sentido dos novos Praticantes, dado que as dificuldades, a nível social, não diminuíram... Antes pelo contrário, a vida está cada vez mais difícil para todos e a prática “desportiva” é a primeira a sofrer as consequências disso. No entanto, há que ter esperança no futuro. Há que, também, continuar a transmitir a mesma mensagem de rectidão de processos e de limpidez de procedimentos, paralelamente com a divulgação das vantagens da prática regular do Aikido, nestes dias cheios de stress e de dificuldades. Confiemos...
 
Este “site” tem contribuído para a sensibilização à nossa Arte a pessoas com distintas características. Há as que já conhecem minimamente as Artes Marciais e as que já praticaram alguma, mas que, por esta ou aquela razão, deixaram de a praticar ou ficaram desiludidas com a sua prática, passando a procurar algo diferente. Há as que nunca praticaram nenhuma Arte Marcial e, por um qualquer motivo, se começaram a informar das modalidades existentes localmente, em concorrência, tendo o Aikido despertado nelas alguma curiosidade. Há também aquelas que, depois de terem feito uma certa investigação, sentiram a necessidade de praticar Aikido por, alegadamente, este lhes poder proporcionar uma evolução do seu interior. Todas estas situações já forneceram Praticantes, os que normalmente “ficam” por longos períodos, por vezes, para sempre. Mas há casos de “toca e foge”... Alguns deles foram só de “toca”, tendo sido o “foge” substituído pelo “fica”... Para outros, o “foge” aconteceu, mas tem, curiosamente, havido “regressos” como “Filho Pródigo”...
 
Que não é fácil, claro que não é... Que não é imediatista, ao nível de meses e anos, que não dá medalhas nas competições, que, por vezes, há acidentes e que a Família é por ele substituída, tudo isso é verdade. Mas o Aikido é especial... Só quem cá anda é que disso se apercebe... Por essa razão, continuo a convidar todos para virem ver um treino, para falarem connosco e tirarem as dúvidas, para experimentarem...
 
No nosso dojo do “CNG”, os treinos continuam no mesmo horário, ou seja, às segundas, quartas e sextas-feiras, das 20h15 às 21h30 (1h15m)... Fora do dojo e durante o ano, pode-se (e deve-se...) praticar todos os 365 dias, 366 nos bissextos...

Boa época.

 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-07-24 – ESTÁGIO INTERNACIONAL DE PENICHE

 
Caros Amigos,
 
É difícil... É difícil escrever sobre um evento deste tipo... Mas, escrever novamente sobre um evento que aconteceu um ano depois de outro, tendo sido ainda melhor que o anterior, é mesmo muito difícil... Digo isto, pois reli o que, há um ano, escrevi sobre “Estágio Internacional de Peniche” e sobre Antoine Vermeulen Sensei.
 
Nesse texto, disse que o Sensei “... voltou a surpreender todos os presentes ...”. Pois, este ano, sucedeu o mesmo... Com a crise ou sem ela, com as férias à porta ou não, com o trabalho redobrado do “antes das férias” ou não, os presentes foram ( ou voltaram a ser...) brindados com um espectacular Estágio.
 
Este ano, os Praticantes belgas voltaram e encontraram-se com os amigos feitos no ano passado... Se no tatami isso se sentiu, no “tempo livre” foi um facto patente e gratificante. Se há um ano escrevi que “... em todos vi uma descontracção, uma boa disposição, uma inter-ajuda, uma colaboração como há muito não via e hoje raramente se vê, se isto não é o verdadeiro “Espírito de Aikido”, não sei o que é que será ...”, este ano voltou a suceder o mesmo... Ainda melhor, se possível...
 
A segunda, ao Nelson Capote (e também à sua equipa próxima...), o nosso Presidente, pela repetição do excepcional trabalho de organização e de acompanhamento de tudo. De tudo, mesmo... Não houve um só pormenor em que não estivesse presente. E actuante... Tudo planeou, tudo executou, tudo resolveu, tudo “desenrascou”... Não nos esqueçamos também das surpresas com que nos brindou... Em nome de todos os presentes (e permito-me fazê-lo pelas conversas que tive com quase todos...), um enorme obrigado, um grande agradecimento cá do fundo...
 
A terceira, sobre os exames de Shodan e Nidan efectuados no final do Estágio. Foram, na generalidade, muito bons. Sentiu-se uma grande evolução na concentração, na maneira de estar, no à vontade, na descontracção e no entusiasmo. Continuo a pensar que o “exame” é mais uma afirmação de confiança pessoal do que uma mostra do que se aprendeu. Penso que o ambiente antes dos exames levou a que esse espírito estivesse presente e “tomasse conta” das actuações durante os exames. O sucesso e o insucesso de cada um já estava decidido por eles próprios. O júri só confirmou o que eles já sabiam... Os parabéns a todos, pois todos os merecem, mesmo os que não foram felizes, desta vez, no resultado. Aos novos Yudansha, sejam bem vindos à confraria... Vão passar a sentir o “peso do cinto negro”... Começa agora o verdadeiro Aikido...
 
A quarta, sobre o facto de que, neste Estágio, foi integrado o 3º módulo das Acções de Formação para Instrutores, Monitores e candidatos a essas funções, programado desde o início da época. Esta realização pretendeu dar aos seus Participantes uma bagagem adicional de pormenorização técnica e pedagógica, aproveitando a presença de um grande Professor, experiente e sensível nas lides do ensino do Aikido, como o é Antoine Vermeulen Sensei.

Quanto às sessões de treino, voltámos a aprender muitas coisas... Por vezes, a reaprender... Se as houve novas, que deverão fazer parte, daqui para a frente, do nosso quotidiano aikidoka, também houve as que o Sensei repetiu, com o seu jeito paciente e enorme bonomia... Mais uma vez se verifica que há que interiorizar os conceitos (aprendidos nestes contactos com os verdadeiros Mestres...) durante o ano, nos treinos diários e nas práticas extra-estágio, com uma especial responsabilidade dos que têm funções de transmissão e ensino.

Precisamente sobre isso, escrevi o ano passado que é “... com perseverança, paciência, constância, que teremos de praticar, é com redobrada atenção que teremos de estar, é, em suma, com honestidade intelectual que teremos de interagir, sem deixar que os pormenores nos escapem, ajudando os nossos parceiros de treino a evoluir, estando permanentemente atentos aos detalhes para que fomos alertados, aplicando os princípios e os conceitos que nos foram transmitidos por este Professor de grande gabarito ...”.

Mais à frente afirmei que “... teremos de transmitir aos que não estiveram presentes, os conhecimentos, os pormenores, o método e as sensações que tivemos neste Estágio ...”, porque “... só assim contribuiremos, de um modo efectivo, para a evolução que desejamos, em nós e nos outros, ultrapassando rotinas, pesquizando novos caminhos, interiorizando procedimentos, sentindo as evoluções, partilhando, sem reservas nem segredos, sem objectivos inconfessáveis de predominância, de espírito aberto e com total honestidade intelectual ...”.
Neste ano lectivo que decorreu, senti que este caminho está, finalmente, a ser trilhado, porque quase todos compreendemos que o devemos percorrer. Espero sinceramente que, no recomeço, em Setembro, a nossa maneira de estar esteja diferente e que possamos evoluir e fazer evoluir, conscientemente.
 
Essa á razão de ser da nossa “ACPA” e do caminho que, para ela, foi escolhido e a todos proposto...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-07-13 – FIM DA ÉPOCA 2006-07

 
Caros Amigos,
 
Foi o último treino da época... Não no tatami, como é costume, mas num restaurante...
 
Pois foi... E muito agradável, embora não da mesma maneira como na generalidade das aulas... Mas também sabe bem descontrair, rir das coisas passadas, estarmos com os nossos companheiros de caminho sem ser “fardados” de Aikidokas...
 
Estes momentos só são possíveis quando se constrói um edifício com bons alicerces, pedra a pedra, tijolo a tijolo, pacientemente... Mas firmemente, regularmente, com vontade de progredir... Estes momentos provam (se ainda fosse necessário provar alguma coisa...) que o Aikido entrou nas nossas vidas pela via da amizade, do companheirismo, da seriedade e da constância de procedimentos e de atitudes. É isto que é difícil explicar aos “outros”, é isso que só se sabe quando se experimenta e se vive... E nós, no “CNG”, vivemos “isso”...
 
A época que acabou foi muito positiva para a “ACPA”, pois sucederam inúmeras coisas que justificaram a iniciativa de se formar esta nova Associação. O programa de eventos que foi elaborado no início da época foi escrupulosamente cumprido por todos o que foram chamados a colaborar. Pode afirmar-se, sem qualquer sombra de dúvida, que este ano foi melhor do que o anterior, embora se tenha notado um pequeno decréscimo do número de Praticantes, devido principalmente às dificuldades económicas, sociais e financeiras por que todos passámos (e continuamos, infelizmente, a passar...).
 
Se a quantidade de eventos foi muito boa, melhor foi a sua qualidade. Os Instrutores chamados a transmitir os conhecimentos adquiridos, nos Estágios e Encontros Técnicos, cumpriram as suas funções com sucesso e agrado geral. Por outro lado, deram-se os primeiros passos para a melhoria técnica dos actuais e futuros Monitores e Instrutores, com pequenos Seminários temáticos, em campos nunca antes explorados, como sejam os da cultura, da história, da filosofia e da evolução do Budo em geral e do Aikido em particular, sem esquecer a sua capacidade de intervenção em situações de emergência física e de necessidade de cuidados urgentes para suporte básico da vida. Isto nunca se tinha feito... Fez a “ACPA”...
 
Neste interregno de mais de um mês, haverá que preparar a próxima época. Se nesta, a fasquia foi elevada, na próxima e no mínimo, terá de ser igualmente alta. E isso dá muito trabalho... Não tenho a mais pequena dúvida que a equipa actual se esforçará para que isso aconteça, já a partir de Setembro próximo.
Resta-me desejar umas boas férias a todos. Repito o voto que no ano passado fiz... Que a nova época de 2007 / 2008 nos traga um Aikido mais participativo, quer ao nível das Associações em geral, quer no que respeita aos Aikidokas em particular.
 
Até Setembro...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-07-01 - ESTÁGIO DE ARMAS

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se mais uma acção programada pela “ACPA” no seu calendário técnico para a época de 2006/7, desta vez na “Sociedade Recreativa do Bairro da Bela Vista”, situado na Charneca da Caparica. Estava previsto um Estágio totalmente dedicado ao estudo das técnicas com armas, no seguimento de outros já efectuados com esse objectivo.
 
Esta colectividade já abrigou uma secção de Aikido com algum sucesso mas, por razões várias, os seus Dirigentes descontinuaram a sua actividade. No entanto, o Aikido permaneceu nas suas intenções e, sempre que podem, disponibilizam-se para ceder as instalações para realizações deste tipo. É um perfeito exemplo do que falta fazer neste país no que respeita à divulgação do Aikido junto das populações periféricas das grandes cidades, já que os Dirigentes associativos conhecem as potencialidades culturais e formativas do Aikido, mas não podem, por falta de meios, proceder à publicitação e implementação da modalidade. Assim, todo o mundo fica a perder... A meu ver e nestes casos, a Federação, por ser dotada de “Utilidade Pública Desportiva”, tem um importante papel a desempenhar, devendo ajudar financeiramente os seus Associados a estimular a abertura de novos dojos junto das Colectividades locais mais carenciadas. Os subsídios estatais anualmente recebidos ao abrigo dos “Contratos Programa” têm, entre outras, esta função. Mas essas são “contas de outros rosários” a que, oportunamente faremos referência...
 
Infelizmente, o Estágio não correu totalmente bem... O Agostinho Vaz Sensei, por razões de emergência médica familiar, não conseguiu estar presente à abertura do Estágio, sendo por mim substituído à última hora. Houve, por isso, a óbvia e manifesta dupla desvantagem de não ter havido um mínimo de programação da minha parte e, o que é mais importante, o facto do meu nível técnico ser inferior. Assim, julgo que a primeira hora não correspondeu às legítimas aspirações dos presentes e que a segunda, já com a presença do titular, mesmo assim pecou por um seu nervosismo patente, prejudicial ao normal desenrolar da acção.
 
Felizmente, ninguém arredou pé e todos ficámos com a sensação de termos aprendido alguma coisa. Pouca, mas alguma... Os Participantes compreenderam a situação e colaboraram no decurso da acção. Pela minha parte, tenho de lhes agradecer a sua tolerância no “desenrascanço” total a que fui obrigado... Quanto ao Agostinho Vaz, só temos, todos, de louvar o seu profissionalismo por ter estado presente nas circunstâncias em que esteve. É, na realidade, um Aikidoka dos quatro costados...
 
Mesmo com as limitações acima descritas, verificou-se um facto notável. Todos os Participantes estiveram à altura das circunstâncias... Surpreendidos pelo anúncio das modificações de última hora, aceitaram a solução proposta, com a harmonia de verdadeiros Aikidokas... É realmente gratificante olhar em redor e constatar que está aí uma nova geração de “muito boa gente”...
 
Está a “acontecer Aikido”...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-06-09 - ENCONTRO TÉCNICO NO “C. N. G.”

 
Caros Amigos,
 
Mais uma vez, o nosso “CNG” foi palco de um “Encontro Técnico” organizado pela “ACPA”, desta vez da responsabilidade docente do Rogério Marques da Silva. Como era de esperar, o seu estilo inconfundível foi muito apreciado pelos Praticantes que estiveram presentes. Do nosso dojo, estiveram quase todos... Dos dojos da região de Lisboa, veio um número considerável... O resultado foi uma “casa cheia”, quase nos limites do espaço disponível...
 
Os presentes, desfrutaram de quase duas horas de técnica eficiente, de harmónica orientalidade, de prazer cultural, de boa pormenorização, de simplicidade na actuação, tudo isto factores oriundos de um Instrutor completo, sabedor, simpático, divertido e atento. Foi a Arte do Aikido na sua melhor expressão.
 
Todos ficámos mais ricos, após este “Encontro”...
 
Sem excepção...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-06-02 – SARÁU ANUAL DO “C. N. G.”

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se, como é habitual, o Saráu anual do nosso “CNG”. O Aikido esteve, mais uma vez, presente, como o faz há mais de 11 anos...
 
No texto que aqui publiquei referente ao Saráu de 2006, escrevi que “...mais que não seja, só por isso, vale a pena ser Instrutor de Aikido no “CNG”...”. Pois hoje apetece-me repetir a frase, porque o “isso” diz respeito ao entusiasmo, à participação, ao interesse que os nossos Sócios Praticantes demonstraram na preparação da sua apresentação e na execução efectuada nesse dia.
 
Remeto para os diferentes textos dos outros anos aqui apresentados o que, mais uma vez, senti neste dia especial na vida do nosso Clube. De facto, se todos, mais uma vez, colaboraram, fizeram-no com uma vontade que nunca esmoreceu, com uma força e um interesse de afirmação do Aikido como uma “secção” importante da oferta total das modalidades do “CNG”. É “isso” que sinto... É para “isso” que aqui trabalho...
 
Do coração, repito que “vale a pena ser Instrutor de Aikido no “CNG””...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-05-19 - YUDANSHAKAI NO REAL SPORTS CLUBE

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se, no “Real Sports Clube”, mais um “Yudanshakai”, isto é, um encontro destinado a “Yudansha”, os detentores de cinto negro. Desta vez foi ministrado pelo Agostinho Vaz Sensei e contou com um elevado número de Participantes.
 
Infelizmente, não pude estar presente por razões pessoais e familiares. Tive pena, pois estes encontros são sempre muito produtivos para todos os Participantes, dado que permitem esclarecimentos de ordem técnica sobre pormenores da nossa Arte.
 
Como estiveram presentes quase todos os Instrutores e Monitores que integram a nossa “ACPA”, mais uma vez se deram passos no sentido da uniformização da execução técnica que faz duma Associação um organismo coeso, se o compararmos com o restante do universo dos Praticantes do Aikido em Portugal. Esta também é uma das funções da nossa Associação que, desde a sua constituição, tem vindo a pugnar por objectivos deste tipo.
 
Continuo a pensar que o espírito das Associações, ao contrário do das Federações, deve ser exactamente esse. De facto, em Portugal e no Aikido, julgo que à Federação compete integrar todos os estilos ou escolas existentes, credíveis e actuantes, sendo que às Associações deverá caber o papel de divulgar (e defender...) os diferentes ensinamentos dos vários Mestres de renome mundial. Tudo isto, claro, numa perspectiva de sã concorrência, utilizando processos transparentes e honestos, respeitando as diferenças, aceitando os outros em pé de igualdade e tentando criar as “pontes do entendimento entre os Homens”...
 
Infelizmente, ainda há quem confunda a leal, saudável e limpa concorrência com as guerras surdas, baixas e sujas do poder. Espero que estes últimos tenham os dias contados, para bem do Aikido. Por parte da “ACPA”, continuaremos a “jogar limpo”, construtivamente, motivados pela Arte a que nos dedicámos, ela própria baseada nesses princípios de honestidade intelectual que ainda são praticados por alguns Mestres de referência.
 
Foi mais um passo...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-05-06 - CURSO TEÓRICO

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se, nas magníficas instalações do dojo de Fátima, um “Curso Teórico sobre Aikido”, ministrado pelo Agostinho Vaz Sensei.
 
Este “Curso” constituiu a 3º módulo das Acções de Formação para Instrutores, Monitores e candidatos a essas funções. Programada desde o início da época, esta realização pretendeu dar aos Participantes uma bagagem adicional de cultura sobre o Aikido, versando aspectos históricos, filosóficos, comportamentais e culturais do Aikido em particular e do Oriente em geral.
 
Como se sabe, não é só da técnica que o Aikidoka se “alimenta”... Os aspectos acima referidos devem fazer parte das preocupações de todos os Praticantes, com especial ênfase no papel que os transmissores têm na difusão desta Arte. De um modo geral, todos esses conhecimentos a nível individual são oriundos da curiosidade de cada um, da transmissão vinda dos seus companheiros e de um “ouvir dizer” sem qualquer tipo de sistematização. Acresce que há muita fantasia que corre por aí, muita informação sem qualquer verdade ou fundamento, certamente derivada do conhecido fenómeno português, segundo o qual “quem conta um conto, acrescenta um ponto”...
 
Ora, é urgente acabar com esse “lixo intelectual”, com essas noções distorcidas, com esse conhecimento falso e prejudicial. Foi precisamente esse o objectivo desta acção, pela qual se procurou sistematizar um conjunto amplo de informações, repondo o maior número de verdades históricas e culturais. Contou-se com um estudioso de longa data destas coisas, respeitado por todos pela sua honestidade intelectual.
 
O resultado foi, a meu ver, curto... Curto porque o tempo foi escasso e os assuntos intermináveis... Há que repetir a dose num futuro próximo, para que os nossos Associados se distingam, ainda mais, dos que só vêem a técnica como o único objectivo na prática do Aikido...
 
Certamente, na próxima época, outro encontro destes se realizará...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-04-25 - ENCONTRO TÉCNICO NAS SETE CASAS

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se mais um Encontro Técnico no “Ginásio Corpos”, nas Sete Casas (Loures), da responsabilidade do autor destas linhas.
 
Como é óbvio, não me compete fazer juízos de valor sobre o êxito ou o fracasso de um ET dirigido por mim. No entanto, posso referir que foi um prazer dirigi-lo, sentir o “feed back” dos Participantes e contribuir para eventualmente aumentar os conhecimentos de alguns. Pela minha parte, voltei a aprender uma série de coisas, como sempre me sucede... Voltei também a sentir o entusiasmo dos Aikidokas presentes pelo Aikido, a honestidade dos comportamentos e a curiosidade dos espíritos.
 
Talvez o que mais me tocou foi ter verificado que os novos Aikidokas, os de mais baixas graduações, os que há menos tempo praticam, apresentaram um elevadíssimo grau de “velhice” no modo como estiveram no tapete... A sua seriedade e a sua vontade foram patentes durante as quase duas horas do Encontro. Claro que os seus Instrutores estão de parabéns pelo que lhes transmitiram. A sua qualidade é fruto do seu empenhamento neste projecto colectivo, do seu “abraçar a causa” que se conseguiu, da sua compreensão de que o trabalho sério e constante produz os frutos mais ambicionados...
 
Assim, todos, Alunos e Instrutores, estão no caminho para a atitude Aiki...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-04-20 - ASSEMBLEIA GERAL DA “ACPA”

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se mais uma Assembleia Geral da nossa “ACPA”, no passado dia 31 de Março. Foi mais um belo exercício de uma verdadeira união de esforços, num ambiente construtivo, impecavelmente dirigido pelo Comt. Tito Serras Simões, pessoa muito experiente nestas andanças.
 
De facto, os participantes nesta Assembleia foram-no mesmo... Os assuntos nela versados foram discutidos ao pormenor, após o que se seguiram as diversas votações. Assim e finalmente, a “ACPA” está dotada dos textos necessários à sua completa operacionalidade, nomeadamente os regulamentos e os programas de que carecia.
 
Foram também prestados, pelos membros da Direcção e do Conselho Técnico, os esclarecimentos pedidos por um grande número dos presentes. Igualmente, foram comunicadas a todos as intenções da actual Direcção no que respeitas às acções a promover nos tempos futuros.
 
Pareceu-me uma reunião muito proveitosa, pois que, aparte o já acima referido, os presentes “sentiram” o pulsar da nossa Associação e o dinamismo dos seus dirigentes eleitos. O espírito que presidiu à sua constituição mantêm-se inalteradamente vivo e actuante. Estou certo de que, daqui a um ano, estarei aqui a escrever um texto semelhante, com o mesmo entusiasmo, com a mesma esperança... Se bem conheço o Presidente e os demais intervenientes, disso não restará a mínima dúvida...
 
A bem dos nossos Praticantes.
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-04-15 - ASSEMBLEIA GERAL DA “FPA”

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se mais uma Assembleia Geral da “FPA”, no passado dia 30 de Março. Não estive presente por razões profissionais. O que me contaram do que se passou na reunião está na mesma linha do das outras. Não o comentarei, pois já o fiz em textos anteriores.
 
Como não tenho a intenção de me preocupar mais com a Federação enquanto os actuais Dirigentes continuarem a actuar do modo como até agora o têm feito e a geri-la “a bem dos superiores interesses do Aikido” (?), esta secção do nosso “site” passará, no futuro e para que conste, somente a fazer referência ao facto de ter havido uma ou várias Assembleias, sem quaisquer comentários adicionais, excepto se algo de relevante nelas se passar.
 
Infelizmente, esta é a dramática realidade... O que se construiu com muito esforço e empenho, para bem do Aikido, está a ser destruído todos os dias. Se essa destruição é consciente e propositada, ou não, o futuro o dirá. Mas que me dói o coração ao ver esfumar-se o que já se tinha alcançado, dói... Claro que dói...
 
Oxalá que a comunidade dos Aikidokas portugueses acorde a tempo de poder corrigir o percurso e de repor a Federação no bom caminho. Se o não fizer pelo Aikido, em conjunto, com uma verdadeira união e com um pacote de objectivos sérios e possíveis entre todas as Escolas, perderemos as mais-valias políticas, administrativas, institucionais e financeiras que ainda restam e que tanto custaram alcançar. Se a Tutela decidir retirar à “FPA” o estatuto de “Utilidade Pública Desportiva”, esse capital, essas mais-valias perder-se-ão para sempre... Poderá fazê-lo se e quando verificar haver uma manifesta falta de capacidade de gestão e um desvio do que é aceite como o papel das Federações, dado que a racionalização financeira do Estado Português está em curso. Doa a quem doer...
 
Que todos os Aikidokas conscientes tenham essa noção... Uma vez perdida a “UPD”, será muito difícil (se não impossível) recuperá-la... Nessa ocasião, todos (ou alguns?) torcerão a orelha, mas não deitará nenhum sangue. O dinheiro dos subsídios estatais acabará e, por essa via, o sonho da possibilidade da unificação do Aikido em Portugal desaparecerá... Por muito tempo...
 
Se não, para sempre...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-04-10 - CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA

 
Caros Amigos,
 
Como tinha dito num texto já publicado, a “ACPA” tinha programada uma “2ª Acção de Formação para Agentes de Ensino”, desta vez em moldes totalmente inéditos, pelos aspectos extremamente práticos e concretos que versou. De facto, os “Cursos” destinados aos futuros Agentes de Ensino na área do desporto, são geralmente ministrados por Prelectores altamente qualificados e graduados, mas pecam pela visão muito “doutoral” da exposição, do tipo “aula de universidade”, com muitos conceitos teóricos, grandes sistematizações doutrinais e muita “palha” para digerir. Normalmente, sucede que os Candidatos ficam bem impressionados com o seu conteúdo e, na ocasião, até o aprovam completamente. Mas, acabado o “Curso”, com o diploma na mão, pouca coisa dele é aplicada na sua prática do dia-a-dia, verificando-se então que só alguns dos recém Formados utilizam os elaborados conceitos para melhorar as suas prestações enquanto Instrutores.
 
Acresce, que nos “curricula” da maioria desses “Cursos”, o capítulo da segurança é, normalmente, pouco versado, pelas limitações psicológicas óbvias que todos nós temos quando somos confrontados com situações de limite, aquelas em que está em jogo a vida ou a morte.
 
Foi exactamente isso que se pretendeu corrigir com esta acção de formação, intitulada “Curso de Suporte Básico de Vida”. O seu objectivo principal foi dotar os actuais e potenciais Instrutores de uma ferramenta de intervenção em situações de emergência, nomeadamente no foro dos sistemas respiratório e circulatório. Como avaliar e que fazer perante uma paragem cardíaca? Como detectar um enfarte? Como intervir numa situação de não respiração? Como proceder para se executar uma ventilação assistida? E como se faz uma massagem cardíaca externa? A maioria das pessoas não sabe o que fazer e tudo isso “passa ao lado”, salvo se estiver presente um médico ou um enfermeiro... O problema reside nos 10 ou 15 minutos que medeiam entre a situação de emergência e a chegada dos paramédicos do “112”... Desses escassos minutos pode resultar a morte do nosso acidentado Praticante.
 
O “Curso” foi ministrado em 17 de Março, nas magníficas instalações de Barcarena, por profissionais do “INEM”, enfermeiros e técnicos paramédicos, membros do “Clube de Reanimação Cárdio-Respiratória”. São pessoas que são confrontados diariamente com situações de emergência, estando, portanto altamente rodados nestes assuntos. Transmitiram-nos muitas das suas experiências pessoais, como lidaram com inúmeras situações dramáticas, como em algumas vezes sofreram e como foram, em muitas outras, recompensados. Pela nossa parte, tivemos ocasião de simular várias vezes situações de paragem cardíaca e/ou respiratória, com ou sem perda de conhecimento, tentando adquirir o mínimo de sensibilidade à gravidade da situação e conseguindo rotinar procedimentos de emergência, repetindo exercícios de RCP (Reanimação Cardiopulmonar). Fizemo-lo em manequins especialmente desenhados para a aprendizagem, utilizando as máscaras faciais que nos foram distribuídas como material do “Curso”.
 
Pela minha parte, achei o “Curso” extremamente interessante e útil. Afixei, imediatamente, num local bem visível (e em letras garrafais...) do nosso dojo, no “CNG”, a listagem dos procedimentos a adoptar numa intervenção de emergência e transmiti este facto aos outros Instrutores que utilizam o nosso Ginásio. Também passou a estar sempre à mão uma máscara facial de ventilação. Oxalá nunca seja necessário ler o papel, nem abrir a embalagem da máscara...
 
Candeia que vai à frente...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-04-05 - ESTÁGIO INTERNACIONAL DE QUELUZ

 
Caros Amigos,
 
Na sequência do trabalho continuado de apoio à nossa “ACPA”, Antoine Vermeulen Sensei esteve novamente entre nós para nos brindar com um excepcional Estágio, desta feita realizado no dojo principal do “Centro Shotokai de Queluz”, gentilmente cedido para o efeito.
 
Que dizer deste estágio? Corre-se o risco de repetir, até à exaustão, o que se disse a propósito dos anteriores. De facto, foi muito bom sobre todos os aspectos, nomeadamente em dois. O primeiro diz respeito aos ensinamentos sobre o modo de ensinar, de que falarei mais abaixo. O segundo é o facto de que foi dado um ênfase muito especial às armas, especialmente ao “bokken”, na vertente do seu treino a dois Praticantes.
 
De facto, têm sido raras as ocasiões de nos serem explicados, tão exaustivamente, os pormenores a ter em conta nesse tipo de treino. Desta vez, Vermeulen Sensei teve ocasião de, criando uma atmosfera de verdadeira comunhão entre todos os presentes, fazer referência à metodologia do treino sistemático dos inúmeros aspectos da prática da espada, quer a sós, quer em conjunto com um parceiro. Os mais familiarizados com o “bokken” tiveram certamente ocasião de consolidar conhecimentos e ligá-los entre si. Os menos conhecedores desta disciplina, viram abrirem-se-lhes as portas de um campo vastíssimo e extremamente fascinante... Este é um trabalho a continuar no futuro, da responsabilidade de todos os Instrutores e demais Praticantes que estivam presentes neste estágio.
 
O outro aspecto acima referido foi o da metodologia do ensino a ter em conta no trabalho de instrução. Sobre este tema, devo dizer que a “ACPA” tinha programado este Estágio como a primeira “Acção de Formação” de uma série de quatro (a efectuar nesta época) e destinadas especialmente a Agentes de Ensino. Estiveram presentes quer os que já têm responsabilidade efectiva em dojos, quer os que poderão no futuro abrir essa actividade, quer finalmente os que estão na linha de, brevemente, poderem dar aulas, sob a supervisão de um Instrutor.
 
De facto, Vermeulen Sensei foi convidado a bipartir o Estágio em duas partes, uma, no sábado, destinada a quem o quisesse frequentar, inscrito na “ACPA” ou não, sendo assim uma acção corrente, com as normais características de um Estágio. A outra, no domingo, seria a tal especialmente dedicada à formação dos Agentes de Ensino, com exclusividade para os nossos Associados. E assim foi... Acredito que todos nós ficamos desejosos de poder aplicar os conceitos metodológicos que nos foram transmitidos.
 
As próximas “Acções de Formação” terão lugar até ao fim da época. A segunda, já em Março, versando aspectos de assistência em caso de acidente grave. A terceira, em Maio, versando aspectos culturais, filosóficos, históricos e conceptuais. A quarta, finalmente, em Julho, novamente com Vermeulen Sensei, com incidência especial em pormenorização técnica. A seu tempo relatarei neste espaço o que nelas se passar.
 
Só espero que os Aikidokas portugueses sejam sensíveis ao esforço que a “ACPA” está fazendo para dotar os seus Associados dos instrumentos de uma prática do Aikido mais perfeita e consciente. De facto, praticar uma Arte Marcial não é uma actividade que possa ser encarada com o ânimo leve, somente destinada ao físico e pouco mais. Pelas suas características, tem de ser, sempre, considerada como potencialmente perigosa e de elevado risco. Os seus Praticantes terão assim de estar bem informados sobre os seus diversos aspectos, para poder tirar da sua prática tudo o que ela lhes pode fornecer, de modo a melhorar os diversos aspectos das suas vidas.
 
Mas com responsabilidade...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-04-01 - REPORTAGEM NA “RTP 1”

 
Caros Amigos,
 
Foi transmitida no passado Domingo, dia 11 de Fevereiro, na “RTP 1”, integrado no programa “Só Visto”, uma pequena reportagem sobre Artes Marciais japonesas, nomeadamente Karate-do e Aikido. Como este tipo de divulgação não é muito frequente e também porque nele fomos intervenientes, aqui fica a notícia do acontecimento.
 
De facto, desde o início do ano que o “Cascais Gym”, entre outras actividades, arrancou com aulas de Karate-do e de Aikido. O seu proprietário, Ediberto Lima, ele próprio Praticante e Instrutor de Karate-do há muitos anos, é um personagem sobejamente conhecido e completamente integrado no mundo da televisão, com muitas e boas realizações nesse seu mister. O Aikido foi iniciado no seu ginásio em Janeiro deste ano, sob a responsabilidade conjunta do André Fiúza e de mim próprio, contando neste momento com um número razoável de inscrições (incluindo um Ediberto Lima entusiasmado...). Tem de aqui ser dito que o Aikido não tem qualquer tradição neste ginásio e que, a cerca de um quilómetro, as novíssimas instalações do “Dramático de Cascais” oferecem, há muitos anos, um Aikido de boa qualidade, sob a responsabilidade de uma Sensei muito experiente.
 
Esse programa “Só Visto” exibiu uma extensa entrevista com o Ediberto Lima, tendo em fundo uma aula de Aikido. Os temas por ele tratados, como não podia deixar de ser, versaram sobre Artes Marciais, nas suas duas vertentes do Karate-do e do Aikido. Embora não fosse especificamente um programa sobre o Aikido, que integrasse uma demonstração exaustiva das suas técnicas, foi mais um momento de divulgação desta Arte, com bons planos de vídeo e um razoável tempo de antena (em termos de televisão, claro...). Dado que o “Cascais Gym” ainda não tem graduados, deram o seu contributo os “nossos” Praticantes, que, como é habitual, se disponibilizaram desde a primeira hora para colaborar nesta iniciativa.
 
Foi um bom momento de divulgação do Aikido... Mas foi, principalmente, a prova de que os verdadeiros Aikidokas estão sempre dispostos a contribuir para integrar demonstrações públicas. Para eles vai o meu “domo arigato” pela sua participação e os “omedeto” pela forma espontânea e entusiasmada com que o fizeram, sem outra paga senão o gozo de estarem presentes em mais uma pequena mostra desta “nossa” Arte.
 
Bem hajam.
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-03-25 - ENCONTRO TÉCNICO NO “CNG”

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se, no passado dia 27 de Janeiro, um Encontro Técnico no nosso “CNG”, desta vez sob a responsabilidade do António Vieira Sensei. Pode dizer-se que “a casa estava cheia”, na medida em que se encontravam presentes vinte e quatro Praticantes, o que, a meu ver, é quase o limite operacional do nosso tatami.
 
O treino correu muito bem. Se, quantitativamente, a participação foi boa, qualitativamente foi excelente. O interesse dos presentes foi bastante elevado, com um nível de seriedade superior ao que se costuma ver em eventos deste tipo. Para isso contribuíram os Praticantes, com uma concentração e autodisciplina notáveis, com uma atenção aos pormenores das explicações que o responsável ia debitando ao longo das quase duas horas de duração. Mas também contribuiu o António Vieira, com o seu modo muito próprio de “ver e sentir” o Aikido, com o seu processo cativante de dar as explicações sobre as técnicas, na forma e no conteúdo, não esquecendo as suas origens na acção real da aplicação nos combates verdadeiros.
 
De facto, o Aikido é uma Arte Marcial muito especial, dadas as múltiplas origens nas diversas disciplinas que O Sensei conhecia como ninguém. Estes aspectos culturais são bem dominados pelo António Vieira, que os transmite com uma simplicidade espantosa. Mas ele é um reconhecido especialista nos sectores “Zen” das diferentes culturas orientais, o que constitui uma enorme mais-valia quando se abordam temas integrados nessas culturas, incluindo os marciais. Assim e como se costuma dizer, a “cereja do bolo” foi surpreendente. No final, todos nós fomos brindados com um ”fim de treino” muito especial, muito relaxante, muito espiritualista, muito “Zen”.
 
Muito bom... A repetir...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-03-20 - YUDANSHAKAI EM MASSAMÁ

 
Caros Amigos,
 
Mais uma vez, a “ACPA” promoveu e realizou, no dojo amavelmente cedido pelo “Real Sports Clube” de Massamá, um Yudanshakai, ou seja, um encontro especialmente destinado aos detentores de cintos negro e castanho, com e sem responsabilidades de ensino. Este encontro, com estas características especiais, foi conduzido tecnicamente pelo José Azevedo e Silva Sensei e contou com a presença de mais de uma dúzia de Instrutores, Monitores e Praticantes.
 
Tendo, primariamente, como objectivo básico o desenvolvimento técnico dos Yudansha, com ou sem funções de ensino, estas realizações visam também a obtenção de uma uniformidade dos critérios na prática da transmissão através de um desenvolvimento técnico comum, melhorando assim, constante e harmoniosamente, a prática do Aikido, no seio dos Praticantes associados na “ACPA”.
 
Por outro lado, pretende-se a consolidação dos conceitos e dos pormenores técnicos que são recebidos nos estágios internacionais ministrados pelos Professores estrangeiros, de forma a permitir que esses ensinamentos sejam difundidos em cascata, de um modo consistente, aos Praticantes de todos os níveis.
 
Estão assim a ser cumpridos alguns dos objectivos que determinaram o aparecimento da “ACPA”. Desde que se começaram a multiplicar os eventos destinados à obtenção de uma melhoria do Aikido praticado pelos nossos Associados, tem-se assistido a uma melhoria significativa na execução das técnicas e uma evolução do espírito que deve presidir à maneira de “estar”, dentro e fora do tapete.
 
Passo a passo, certamente se alcançará o que se sonhou...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-03-15 - NOVO DOJO: “CASCAIS GYM”

 
Caros Amigos,
 
Não é fácil descrever as emoções próprias do iniciar o trabalho num novo dojo... A não ser que se viva essa experiência... É um desafio profissional, uma esperança secreta, um receio de falhar, uma responsabilidade acrescida...
 
Quando se pisa o tatami de um novo dojo pela primeira vez (solenemente como convém...), sob os olhares das pessoas que não conhecemos, que têm do Aikido uma ideia mínima, que estão a ter a experiência de, pela primeira vez, se encontrarem perante um “mestre” duma actividade completamente desconhecida e quase “mágica”, tem-se uma sensação esquisita, cheia de sentimentos mistos e contraditórios. Depois, ainda de um modo um pouco tenso, vêm as primeiras explicações, as informações sobre etiqueta e comportamentos, sobre os objectivos dos futuros treinos, do que pretende alcançar e como o poderemos conseguir, do que isso tudo irá custar, das alegrias e das decepções que logo surgirão... Mas logo que o gelo se derrete, é um mundo novo que se abre, os corações que se conquistam, os progressos que se sentem, as enormes dificuldades que se deparam, as surpresas sobre o que se é, ou não, capaz de fazer...
 
Estou a falar disto tudo para vos dar conta da abertura de um novo dojo em Cascais. Está localizado no “Cascais Gym”, no Bairro do Rosário, paredes meias com o “Centro Comercial Riyad”. Das antigas instalações pouco resta e a nova Gerência esforçou-se para mostrar uma “cara” diferente, destinada a outro tipo de utilizadores. Novos aparelhos, novas cores, novos processos e também novas modalidades, entre as quais, claro, o Aikido...
 
Decidi que agora seria a ocasião de “lançar às feras” o André Fiúza. É um Praticante muito dedicado, atento, estudioso, com boa presença, respeitado por todos, com muitas horas de tapete, com alguma experiência de ensino e, claro está, senhor de uma técnica já bastante evoluída. Acresce que sempre fui partidário da ideia de que, na vida, tem de existir uma evolução. “Dar lugar aos novos” não significa entrar no declínio do esquecimento, antes pelo contrário, é uma nobre missão que todos os “antigos” devem considerar como um saudável processo natural de renovação das estruturas. Felizmente, no seio do “nosso “CNG””, existem Praticantes que integrarão, certamente, a nova geração de Instrutores de Aikido este País. Assim eles o queiram...
 
No passado, apoiei o João Batalha, aquando do arranque do dojo do “Ginásio Equilíbrio”, em Loures. O sucesso é evidente e ganhou-se um dojo dinâmico e uma série de Praticantes dedicados. Evoluiu o Instrutor na técnica e nas características humanas. Agora, decidi que chegou a hora do André Fiúza, nesta oportunidade oferecida pelo “Cascais Gym”. Oxalá os horários da Faculdade lhe permitam manter uma constância nos treinos. Mas, obviamente, também o vou apoiar e ajudar a criar “asas” nesta missão de divulgar o Aikido. Sinceramente, acho que tem as condições para isso.
 
Quanto ao “Cascais Gym”, o seu Responsável e proprietário é, há muito tempo, um profundo conhecedor do mundo das Artes Marciais. O Ediberto Lima é Yudansha e um Instrutor entusiasta de Karate-do, tendo muita experiência nas relações humanas e na gestão comercial. Se o Aikido for, como espero, uma modalidade bem aceite pelos frequentadores do ginásio (e que são muitos...), então o dojo será certamente, mais um caso de sucesso.
 
Tenhamos esperança, mas trabalhemos para tal...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-03-10 - JANTARES DE NATAL

 
Caros Amigos,
 
Como é costume nesta época, os jantares de convívio natalício, nas empresas e nas colectividades, fazem parte dos “programas” de uma grande maioria das pessoas. Este Natal não foi excepção. No passado dia 14 de Dezembro, num restaurante de Loures, vários Praticantes e os Instrutores dos dojos do “Ginásio Corpos”, “Ginásio Equilíbrio” e do “CNG” juntaram-se num jantar divertido e muito participado.
 
Ainda bem...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-03-05 - GRADUAÇÕES NO GINÁSIO EQUILÍBRIO

 
Caros Amigos,
 
No passado dia 5 de Dezembro, realizaram-se exames no dojo do “Ginásio Equilíbrio”. O Instrutor residente é o João Batalha, que tem feito um magnífico trabalho. Desde o tempo em que começou os seus treinos no “Ginásio Corpos”, nas Sete Casas, que ele se revelou como um grande entusiasta do Aikido. A sua progressão foi sempre muito positiva e, quando se propôs abrir um novo dojo, confirmei no meu espírito que iria construir um bom espaço de treino, não só pela sua vontade em disseminar o Aikido, mas também pela preocupação de transmitir o seu “interior”. Sempre foi um Praticante atento e cheio de curiosidade, aberto aos detalhes operacionais, às razões técnicas e aos pormenores culturais. Não me enganei...
 
A sua acção, ao longo destas duras (e por vezes frustrantes...) épocas de arranque, produziu o que se pode considerar como compensador para qualquer Agente de ensino, isto é, um conjunto de Praticantes com o gosto solidificado de praticar Aikido... De facto, mais do que o nível técnico (que pouco interessa nestas graduações, mas que começa a despontar), senti que há um grande gosto em praticar, em evoluir, em aprender, em pesquisar, em colaborar. É assim que se constrói um dojo, é assim que se arregimentam Praticantes, é assim que se renova o sangue na nossa pequena comunidade de Aikidokas.
 
Parabéns aos novos graduados, parabéns o Instrutor... Agora, espero ter a oportunidade de, dentro de uns meses, voltar ao “Equilíbrio” e assistir a mais uns exames bens sucedidos, que continuem espelhando a evolução e produzindo novos graduados.
 
A bem de todos...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-03-01 - ESTÁGIO INTERNACIONAL DE LISBOA

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se no pavilhão do “INATEL”, em Lisboa, mais um “Estágio Internacional”, dirigido pelo conceituado mestre de Aikido, Seiichi Sugano Shihan. À semelhança dos anos anteriores, Sugano Shihan foi exacto nos seus ensinamentos, evidenciando a sua magnífica técnica, com uma seriedade e uma precisão notáveis. Quem esteve atento às suas demonstrações e quem tenha boa memória, verificou que continua o mesmo, com as mesmas preocupações didácticas, com o mesmo método de ensino, com a mesma frugalidade de sempre... É um mestre japonês “à antiga”, como já não vai havendo muitos neste mundo.
 
Pareceu-me, todavia, muito mais velho, mais cansado, com menos paciência, fazendo um esforço visível para se “defender” dos minutos, que custavam a passar... Pareceu-me que a sua saúde já não está tão boa, que os anos lhe pesam, que as mazelas começam a travar a sua acção... Oxalá me engane, que isto não seja mais do que “um mau dia”... Devo confessar que fiquei um pouco apreensivo com isto tudo, com o ambiente dentro e fora do pavilhão, principalmente nas conversas que tivemos, nos contactos pessoais e institucionais durante as refeições e as deslocações em Lisboa. Oxalá...
 
No final do “Estágio”, houve exames para graduações Aikikai. Mais uma vez, um Praticante do “nosso CNG” esteve em destaque. O André Fiúza portou-se muito bem, fez um magnífico exame e foi-lhe concedido o Shodan Aikikai. É mais uma alegria que quero partilhar neste local, o facto de ele ser o “meu” primeiro aluno com um grau Aikikai... Sem qualquer espécie de favor... Parabéns, porque mereceu... Ponto, parágrafo...
 
Aos outros que foram bem sucedidos, também envio um grande abraço. A “ACPA” começa a ter Praticantes de bom gabarito em qualquer parte do mundo, fruto de um trabalho sério e constante. Lentamente, começa-se a constatar que o “Projecto ACPA“ está a surgir como uma realidade e não mais como um sonho. Se pensarmos que tudo isto poderia estar a ser feito com melhores e maiores meios, dentro de uma organização mais abrangente e com a participação de sete ou oito vezes mais Praticantes, teremos a consciência do quanto a mesquinhez humana prejudica este País... Mas, essas são contas doutro rosário...
 
Aos que não foram bem sucedidos, também um abraço pelo esforço demonstrado... Embora não sirva de consolação, posso afirmar que, por vezes, a realidade não é o que se vê e os caminhos trilhados não são planos, que ainda há forças poderosas que fazem contravapor, que continuam a existir situações de dependência e de submissão que escapam ao nosso controle, que não há a coragem para dar um murro na mesa e dizer “Basta...”.
 
Enfim, com alegrias e contrariedades, façamos o nosso trabalho com honestidade e persistência, virados para a Arte e não para a Política, com a certeza do que queremos e do que julgamos ser o melhor para o Aikido. Esse foi o nosso projecto inicial. Esse tem sido o nosso caminho...
 
Continuemos...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-25 - ASSEMBLEIA GERAL DA FPA

 
Caros Amigos,
 
Realizou-se em 29 de Novembro mais uma Assembleia Geral da “FPA, Federação Portuguesa de Aikido”. Por motivos de ordem profissional, não estive presente. Mas contaram-me o que nela se passou... Como não tenho motivos para duvidar de uma palavra que seja das minhas fontes de informação, só tenho de dar por bem empregue o tempo que gastei em lá não ter estado.
 
Acompanhei, desde o seu início, a vida da “FPA”, como se de um filho se tratasse... Dei, como é meu timbre, tudo o que tinha e o que não tinha, em prol do desenvolvimento daquela organização... Contribuí com o meu esforço e o meu dinheiro para as acções que foram, durante anos, efectuadas... Troquei inúmeras vezes o estar com a minha Família em longos dias, intermináveis noites e semanas de férias por acompanhamentos de acções, nacionais e internacionais... Convivi com inúmeros Dirigentes, uns mais dirigentes do que outros... Tive alegrias e tristezas... Vi nascer “Homens” fantásticos e dedicados à causa do Aikido, assim como vi surgir “ratos” oportunistas, preocupados com os seus bolsos e agarrados às suas evoluções nas alturas dos seus pedestais... Não fui o único, nem estive sozinho... Fiz parte de várias equipas que foram separando o trigo do joio...
 
Mas, nos tempos finais da minha colaboração, tudo isso não foi compreendido pela maioria... Aceitei a derrota e afastei-me. Como já tenho afirmado noutras ocasiões, não pretendo voltar à gestão da “FPA” nem ter mais nenhum papel enquanto dirigente federativo. Penso que a minha missão agora é outra, dando a minha colaboração a pessoas que pensem e actuem como eu, todos empenhados na construção de uma Associação que se baseie em princípios que sempre defendi para a Federação e que vi esfumarem-se no decurso do tempo. Uma outra missão é o meu desenvolvimento como Aikidoka e o meu papel como orientador, instrutor e divulgador do Aikido.
 
Mais... Acho que a “FPA” deve espelhar duas coisas. Uma, é o conjunto dos princípios defendidos por O Sensei, de Harmonia e de Paz. A outra é o conjunto de opiniões dos verdadeiros, honestos, construtivos e conscientes Aikidokas deste País. Se a primeira parece evidente, ela não é fácil de conseguir, pois há muitos dirigentes que defendem uma coisa e praticam uma outra, por vezes, diametralmente oposta. Já a segunda é obviamente difícil de conseguir, pois há muita gente que coloca os seus interesse individuais à frente dos interesses do “seu colectivo” (leia-se, da “sua organização intermédia”) e, numa segunda fase, os da “sua organização” (leia-se, da “sua escola ou estilo”) à frente dos interesses do Aikido “de” e “em” Portugal. Defendem assim coisas diversas, aparentemente inconciliáveis na prática do dia-a-dia... Acresce que pouca gente está disposta a ceder um milímetro que seja das “suas verdades”, tornando-se impossível a conciliação das diferentes posições... Mesmo que digam mil vezes a estafada frase “em defesa dos superiores interesses do Aikido”...
 
Missão impossível? Não sei... Só sei é que a Assembleia Geral decorreu mal e não contribuiu para essa missão. Todos se atacaram, todos defenderam a respectiva “quinta”, todos prometeram tudo, ninguém cedeu nada... E pior do que isto, nada foi realmente feito, nada se construiu, nada se avançou, nem na prática, nem na educação, nem nas verdadeiras intenções...
 
Quase todos preferem a comodidade egoísta das intermináveis discussões, ao esforço efectivo da construção conjunta.
 
Assim, não... Definitivamente, não...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-24 - VÁRIOS EVENTOS TÉCNICOS

 
Caros Amigos,
 
Pela primeira vez, decidi englobar, num mesmo texto, vários pequenos comentários a diferentes eventos técnicos. Estas manifestações realizaram-se todos no primeiro período escolar, isto é, entre Setembro e Dezembro de 2006. Excluem-se dois, o “Encontro Técnico” realizado na Baixa da Banheira, em 22 de Outubro, da minha responsabilidade e objecto de um comentário já publicado, e o “Estágio Internacional de Lisboa” de 2 e 3 de Dezembro, da responsabilidade de S. Sugano Shihan, o qual terá um comentário autónomo, em virtude da sua importância.
 
Comecemos pelo primeiro, o “Encontro Técnico” de 30 de Setembro, realizado no “Ginásio Equilíbrio”, em Loures, da responsabilidade do António Vieira. Foi, salvo erro, a primeira vez que se realizou um “Encontro Técnico” naquele dojo. As instalações envolventes são fantásticas, com uns responsáveis entusiastas pela divulgação do Aikido. A única coisa que é pena é o tamanho do tatami. Mas esse pequeno tamanho do tatami é compensado pelo enorme entusiasmo dos Praticantes, do Instrutor e dos Proprietários do Ginásio, eles próprios antigos Praticantes de Aikido e de Judo. Por estar de férias nesses dias não estive presente, mas, pelo que me disseram, foi um muito bom “Encontro”, com uma boa participação e bem dirigido pelo António Vieira, o que, por si só, é uma garantia de uma acção com qualidade.
 
O segundo evento foi o “Yudanshakai” que se realizou no “Centro Shotokai de Queluz”, em 7 de Outubro e da responsabilidade do nosso Director Técnico, José Azevedo e Silva. Por ainda estar em período de férias, não estive presente. Mas foi uma acção que, segundo consta, todos consideraram como muito útil, dado que foram tratados temas de grande importância para os Yudansha, tendo nela repassado a pormenorização e o detalhe que só um Praticante com a sabedoria e a experiência de Azevedo e Silva Sensei é capaz de transmitir. Bem haja pelo seu esforço e pela sua dedicação ao Aikido. Estou certo de que todos os Praticantes mais velhos, nos quais me incluo, gostariam de saber onde se encontra a origem da sua energia...
 
O terceiro encontro foi o “Estágio Nacional” realizado na “SFUAP” em 11 de Novembro e da responsabilidade, novamente, do “nosso” Azevedo e Silva Sensei. Foi uma espécie de preparação técnica para o futuro “Estágio” de Sugano Shihan, em Dezembro. E foi muito bom... Igualmente, foi um evento muito participado pelos mais de trinta inscritos, que deram o seu melhor, solidificando os seus conhecimentos pela absorção dos finos recortes técnicos de pormenor e pelas explicações oportunas de um muito experiente Instrutor. Mais uma vez, voltei a ficar espantado pela energia que o nosso Director Técnico voltou a demonstrar...
 
O quarto evento foi o “Encontro Técnico” realizado no bonito dojo de Fátima, em 25 de Novembro, da responsabilidade do Rogério Marques da Silva. Tudo se encaixou na perfeição... O estilo muito particular do ensino do Rogério foi enaltecido pela atmosfera intimista do que considero o melhor dojo dos que integram a nossa “ACPA”. Os presentes, em número ideal para a dimensão do espaço disponível, desfrutaram de quase duas horas de harmonia, de pormenorização, de cultura, de técnica, de eficiência, de orientalidade, de prazer, só possíveis por se terem conjugado dois dos principais factores, o Instrutor e a sua Arte. Todos, sem excepção, saímos deste “Encontro” mais ricos...
 
Finalmente, em Vila Franca de Xira, em 16 de Dezembro, realizou-se o primeiro “Encontro Técnico” após o “Estágio Internacional de Lisboa”. O seu responsável foi o Agostinho Vaz Sensei, que teve ocasião de fazer consolidar nos nossos espíritos os ensinamentos desse “Estágio”, depois de os ter “digerido” com a sua capacidade técnica e com a sua cultura marcial. É reconfortante verificar que a nossa “ACPA” tem, no seu rol de Instrutores, homens como Agostinho Vaz. Esta é a garantia de que, como instrumentos para os nossos Associados, Praticantes ou Instrutores, é posto à disposição um manancial de conhecimentos que, a serem bem trabalhados e absorvidos nos treinos do dia-a-dia, contribuirão para que o nível do Aikido continue a subir em Portugal.
 
Não será isso que todos desejamos?
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-23 - REUNIÃO EM CARCAVELOS

 
Caros Amigos,
 
No dia 29 de Outubro de 2006, realizou-se a sétima reunião inter-associações, mais de 8 meses depois da última, havida em Fevereiro.
 
A ACPA fez-se nela representar, mas eu não estive presente, por motivos de ordem profissional. Pelo que julgo saber, esta foi mesmo a última (espera-se...) desta fase preparatória... A Direcção da FPA ficou de elaborar um primeiro texto com as conclusões consensuais já alcançadas, destinado a servir de base aos documentos que integrarão os futuros Estatutos e Regulamentos da “nova FPA”, que se pretende alargada a todos os grupos existentes em Portugal.
 
Como estou a escrever este texto com alguns meses depois da data desta reunião, posso desde já adiantar que não houve, até hoje, qualquer desenvolvimento à situação de Outubro. O que se prefigurava como um trabalho destinado a dar os seus frutos num prazo razoável, está a revelar-se simplesmente como um conjunto de intenções e nada mais... Sinceramente, não entendo o que se passa ou o que se pretende. Ou estas reuniões foram só um fogo fátuo, destinado a calar a boca aos recalcitrantes e a justificar à Tutela os milhares de euros entregues anualmente à Federação, ou há uma total incompetência e desinteresse no assunto pela parte dos Dirigentes federativos, ou, finalmente, esta situação de marasmo total produz algumas vantagens a alguém, pois deste modo sempre se vão mantendo nos lugares que, silenciosamente, ocupam...
 
Não sei o que se passa... A FPA não reage... As coisas não avançam... Não é produzida nenhuma informação... É assim que (não) funciona um organismo dotado de “Utilidade Pública Desportiva”, que recebe do erário público (do bolso de todos nós...) dezenas de milhares de euros todos os anos...
 
Algo vai mal neste País...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-22 - ENCONTRO TÉCNICO NA BAIXA DA BANHEIRA

 
Caros Amigos,
 
No dia 22 de Outubro de 2006, a ACPA realizou mais um Encontro Técnico no dojo da Baixa da Banheira, o primeiro desta época desportiva.
 
Dado que este dojo tem um carisma muito especial, por virtude do entusiasmo sempre evidenciado pelos Praticantes e pelo Instrutor por ele responsável, as expectativas eram, obviamente, elevadas. E foi mesmo um óptimo treino... Estiveram presentes mais de trinta Aikidokas que, durante 2 horas, praticaram com afinco e com muita seriedade. Como responsável por este Encontro Técnico, resta-me ficar contente e prometer ainda mais para o futuro, enquanto elemento integrado numa equipa que se pretende ganhadora...
 
Este primeiro evento do ano desportivo deixa a certeza de que a ACPA vai ter uma época muito conseguida, talvez melhor do que a anterior... Se isto se confirmar, é a confirmação de que as acções da nossa Associação estão a produzir os resultados que estiveram na origem da sua concepção, trilhando os caminhos correctos, servindo o Aikido em Portugal.
 
Os próximos Encontros Técnicos e Estágios Nacionais e Internacionais programados vão estar na mesma linha escolhida pela ACPA. Da parte dos Instrutores responsáveis, há a certeza que tudo será feito nesse sentido. Os Praticantes que, desde a primeira hora, acreditaram em nós, não serão defraudados nas suas expectativas...
 
Promessa de Aikidoka...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-21 – INÍCIO DE ÉPOCA

 
Caros Amigos,
 
No dia 1 de Setembro, iniciou-se oficialmente a nova época desportiva do Aikido, na ACPA e no CNG.
 
Na ACPA, antes de a época se iniciar, houve que fazer a sua preparação. E foi trabalhoso o que já se fez... Reuniões para o estabelecimento de objectivos, para fazer o ponto das situações de caracter político e estratégico, para o planeamento ao nível da Direcção e do Conselho Técnico, etc.. Tudo parece fácil, mas não é... Todos nós, na ACPA, somos “amadores” no sentido de termos o nosso trabalho profissional e a ACPA ser trabalho “extra”... Mas com um grande espírito de missão, lá vamos conseguindo... Só espero é que alguém não nos meta os “paus nas rodas” e nos deixem seguir o nosso caminho.
 
No “nosso” CNG, as expectativas são as de sempre... Que este ano seja melhor que o anterior, são os votos à partida... De antemão, tenho a noção de que existe um grupo de Praticantes que voltarão este ano, até porque já me contactaram nesse sentido. Esses não me preocupam, pois já estão “agarrados” pelo bichinho do Aikido... Como eu... Serão bem-vindos, como sempre e, mais uma vez, decerto farão parte do Grupo.
 
O que não sei é quantos novos se inscreverão. Espero que sejam muitos... A minha grande dúvida é a crise do País, que começa a ser importante demais nos bolsos das pessoas. Não é a concorrência que me deixa dúvidas, que a há e forte... Ainda bem que há mais dojos, pois isso significa mais Praticantes. Não é o Aikido, cuja mensagem continua a ser aquela que nós sabemos... Não. Não é nada disso... É a crise...
 
A crise, como elemento de dissuasão, é o principal problema na difusão do Aikido. Por um lado, aqui não há competição. Hoje, uma grande maioria de pessoas corre atrás de medalhas... Por outro, é difícil, muito difícil... Os resultados não aparecem em dois ou três meses; nem num ou dois anos. Exige-se uma visão a longo prazo, por vezes com inúmeros sacrifícios da família e do lazer, para não falar da exigências ao nível físico, de pequenos acidentes, de recuperações custosas...
 
Levando estes argumentos em conta, uma pessoa que se disponha a começar o Aikido, por vezes opta por um desporto mais fácil e imediato... Só aqueles que fizerem um completo “trabalho de casa”, os que investigarem as informações e os que, curiosos, vierem ver, só esses experimentam e, na maior parte dos casos, ficam “agarrados”...
 
Por isso, venham... Venham ver... Nós todos, no CNG, estamos prontos... Vamos agarrar-vos...
 
Boa época.
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-20 – FIM DA ÉPOCA 2006-07

 
Caros Amigos,
 
Como escrevi há uns dias, eis que estou de volta para alguns comentários sobre os eventos mais significativos do Aikido em que me encontro inserido, seja na ACPA, seja no CNG, seja na FPA ou em outra qualquer origem.
 
O primeiro desses eventos que julgo merecer alguma atenção, foi o fim da época 2005-06. Merece por várias razões... Uma, porque, desde já, é o constatar a vitalidade do Aikido quer no CNG, quer na ACPA. De facto, é gratificante observar que os eventos em que participamos, nos convenceram (se isso fosse necessário...) que o Aikido e os seus Praticantes estão vivos, participantes, entusiasmados e actuantes. O interesse por todos demonstrado tem sido fantástico, deixando-nos a mensagem que haverá continuidade, através duma contínua injecção de sangue novo.
 
Mas, houve também a série de reuniões dos responsáveis da ACPA no sentido de preparar a época seguinte, que se deseja plena de Aikido... Muito trabalho de bastidores já efectuado... Mas muito, ainda, necessário...
 
No entanto, nem tudo foi positivo. Permito-me destacar um facto que me abalou bastante... Foi uma iniciativa disciplinar da Direcção da Federação contra uma colaboradora administrativa, mulher de um companheiro de longa data nestas lides do Aikido. Foi uma surpresa, pois, durante o tempo em que estive ligado à FPA, mantive com ela uma relação muito positiva, pela sua conduta profissional a todos os níveis. Dedicada de corpo e alma à causa do Aikido, mas principalmente uma pessoa cuja actuação foi sempre impecável e duma eficiência incrível. Não sei as razões determinantes dessa iniciativa, mas estranho que não tivesse havido uma conversa esclarecedora antes do processo disciplinar. Habituado como estou a gerir pessoas no âmbito da minha vida profissional há quase 40 anos, só por uma vez tive necessidade de recorrer a essa solução... Em praticamente todos os casos de conflito, conseguiu-se resolver as coisas civilizadamente, com mais ou menos dificuldade, mas sempre com um espírito aberto e colaborante na procura de uma solução. Estarei certamente atento ao evoluir da situação, pelo conhecimento que tenho dos intervenientes e pelo interesse que conservo pela vida federativa do Aikido em Portugal.
 
Resta-me desejar umas boas férias a todos os leitores destas linhas. Espero ardentemente que a nova época nos traga um Aikido mais participativo, quer ao nível das Associações em geral, quer no que respeita aos Aikidokas em particular.
 
Até Setembro...
 
Francisco Leotte

aikirei.gif

2007-02-13 – LONGO SILÊNCIO

 
Caros Amigos,
 
Isto de escrever não é uma tarefa fácil... Não que faltem acontecimentos que mereçam ser comentados, não que não exista o dever de os comentar. Mas, como muitas coisas na vida, não se faz quando se deve, mas quando se pode.
 
Já está a fazer quase seis meses e meio desde que o último texto saiu nesta secção. A culpa, como não pode deixar de ser, é inteiramente minha... Mas a intensidade dos afazeres profissionais e as exigências dos assuntos ligados ao Aikido, desde as funções administrativas da ACPA, da preparação dos eventos técnicos, ao regular e rotineiro desenrolar das aulas, não esquecendo a Família (que também merece...), não têm permitido nem momentos de reflexão, nem tempo de escrita. Foram longos meses, cheios de factos merecedores de alguns comentários. E como se costuma dizer que "mais vale tarde do que nunca", estou prometendo que os próximos tempos vão permitir pôr em dia, neste site, a minha opinião sobre os assuntos que julgo terem tido alguma relevância durante este período.
 
Assim, nas semanas que virão, aparecerão diversos textos que cobrirão o fim da época de 2005 / 06 e o início da presente 2006 / 07. Espero que eles continuem a merecer dos seus leitores os comentários a que os anteriores tiveram jus, concordando-se ou não com os seus conteúdos. Desde já e mais uma vez se agradece o tempo perdido a lê-los e a energia consumida a contestá-los.
 
Até breve.
 
Francisco Leotte

aikirei.gif


Clube Nacional de Ginástica
Rua Machado dos Santos 112 2775-235 Parede    Telf.: (+ 351) 21.457.10.10   Fax: (+ 351) 21.458.10.03